Pessoas acima de 60 anos são os principais viajantes do Brasil

O Ministério do Turismo do Brasil realizou a Sondagem do Consumidor em setembro de 2017 com foco nas intenções de viagem. O estudo revelou que mais de 25% dos brasileiros acima de 60 anos pretendem viajar até março de 2018. Entre estas pessoas, 73,5% querem viajar por via aérea e 32,5% desejam ir para fora do País. Assim, idosos correspondem à maior parcela de interesse em viagem internacional em comparação às outras faixas etárias (17% para menores de 35 anos, 27,2% para pessoas entre 35 e 44 anos, e 27,2% para pessoas de 45 a 60 anos).

Em outra pesquisa realizada pela agência CVC, foi constatado que pessoas com mais de 60 anos estão viajando com mais frequência que há alguns anos. Atualmente, cerca de 20% das pessoas que adquirem pacotes de viagens são idosas, um número que chega a 1 milhão de consumidores a cada ano. Em 2010, esse número era 5% menor.

A importância de viajar

Estudos comprovam que convívio social pode ajudar o idoso a afastar transtornos como ansiedade e depressão a partir da solidão. Viagens e passeios são maneiras prazerosas de proteger o idoso contra estes transtornos mentais e deve ser uma prática estimulada pela família.

De acordo com especialistas, esta parte do público é exigente, deseja visitar lugares inusitados, e não apenas resorts para descanso. Por terem quase sempre as mesmas limitações e interesses, é comum que os idosos viagem em grupo. Agências especializadas em atender idosos montam seus roteiros de forma a englobar percursos em áreas históricas e locais que tenham um circuito gastronômico aprimorado e diversificado.

A agência Pastore Turismo, por exemplo, tem o cuidado de visitar as instalações do hotel, pousada ou resort para garantir que o idoso tenha plena liberdade e acessibilidade de locomoção pelo local. Os roteiros são leves, práticos, com poucas caminhadas e com atividades para socialização entre estas pessoas.

 

Falkner Moreira
Produção de Conteúdo

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *